Enfermeiro que defendia tratamento sem eficácia para a Covid-19, Anthony Ferrari morre vítima da doença

Profissional de 45 anos morreu neste domingo (18), em Duque de Caxias. Ele ficou conhecido nas redes sociais por espalhar fake news sobre a pandemia, e foi alvo de investigação.

Morreu neste domingo (18), vítima da Covid-19, o enfermeiro e ex-diretor do Hospital da Criança em Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio, Anthony Ferrari Penza, de 45 anos. O profissional estava internado no Hospital Municipal São José, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, referência no tratamento para a doença.

De acordo com a Prefeitura de Cabo Frio, Anthony deu entrada na Upa do Parque Burle e foi transferido para o Hospital Otime Cardoso dos Santos, no Jardim Esperança, no dia 8 de abril. Na última quinta-feira (15), ele foi levado para a unidade de saúde em Duque de Caxias.

A morte foi confirmada pela Prefeitura de Duque de Caxias. Segundo a prefeitura, um dia após chegar ao hospital da cidade com 75% do pulmão comprometido, ele apresentou piora e precisou ser intubado. Anthony morreu às 22h30 de domingo.

“Deus levou o amor da minha vida, o que ficou foi uma grande dor e saudade dessa pessoa que tanto lutou pelo próximo, seus feitos vão ficar para sempre e tenho certeza que o céu está em festa”, publicou a viúva dele, Natália Comam Ferrari, nas redes sociais. O enfermeiro deixa esposa e dois filhos.

Divulgação de fake news

Anthony Ferrari era enfermeiro havia 15 anos e atuou como diretor do Hospital da Criança em Cabo Frio em 2016. Nas últimas eleições municipais, em 2020, se candidatou a vereador de Cabo Frio pelo Partido Social Democrático (PSD), mas não foi eleito.

 

Nos últimos meses, Anthony ficou conhecido nas redes sociais por publicar vídeos informações falsas sobre a pandemia. Em algumas publicações, o enfermeiro chegou a desaconselhar a vacinação e defender o uso de medicamentos sem eficácia comprovada contra a Covid-19, como a hidroxocloroquina.

 

O profissional publicou também vídeos com fake news nas redes sociais, afirmando que estados e municípios recebem até R$ 19 mil do governo federal por paciente morto com a Covid-19, o que não é verdade.

 

Ferrari disse ainda que cerca de 60% das mortes da Covid-19 são de pessoas que “morreram por estar assustadas”, “morreram porque muitos falaram para ficar em casa”. O Fato ou Fake já checou essa informação falsa e mostrou que isso também não é verdade.

 

Devido à divulgação de fake news, o Conselho Regional de Enfermagem do Rio de Janeiro chegou a abrir um processo contra o profissional para investigar o caso.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *