Família contesta, mas Secretaria de Saúde confirma morte por COVID-19

Ao anunciar o primeiro caso de morte por Covid-19 em Alagoas, nesta terça-feira, 31, o governador causou uma reação imediata entre os familiares do paciente, um homem de 63 anos que estava na UPA  do Trapiche. Uma mulher, que se identificou como nora do paciente, comentou na página de Renan Filho no Instagram, que as informações estavam equivocadas e que seu familiar não morrera por causa do coronavírus e sim decorrente de pneumonia.

Na postagem a mulher diz ainda que o sogro, que é natural do Acre, estava vivendo em Alagoas há cinco anos. Ele era diabético e havia dado entrada na UPA do Jacintinho várias vezes, onde foi detectado um quadro de pneumonia. Ainda segundo o relato, há cerca de 5 dias o paciente piorou e o quadro evoluiu à óbito. “Lutamos por uma vaga na UTI, sem sucesso”, desabafa.

Ao procurar a direção da UPA, após o registro da morte, a nora conta que foi informada que o resultado do teste realizado pelo Lacem ainda não havia sido divulgado.

Em nota à imprensa, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) reiterou a informação antecipada pelo governador, nas redes sociais. Além de confirmar a primeira morte por Covid-19, a Sesau também informou que os familiares do paciente já estão em isolamento domiciliar, sendo monitorados pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS). Confira nota da Sesau na íntegra:

“A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) informa que, nesta terça-feira (31/03/2020), foi confirmado o primeiro óbito pela Covid-19 em Alagoas, conforme exame realizado pelo Laboratório Central de Alagoas (Lacen/AL). A Sesau esclarece que a vítima, do sexo masculino, tinha 63 anos, e estava internada com respiração artificial. A Sesau salienta, ainda, que a vítima é natural do Acre e residia na capital alagoana há seis meses, não havendo histórico de viagem para fora do Estado. Segundo o prontuário médico, ele era diabético e seus familiares estão em isolamento domiciliar, sendo monitorados pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS).”

 

PROTOCOLOS ADOTADOS

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) vem a público prestar importantes esclarecimentos sobre o falecimento na madrugada de segunda-feira (30) de um homem de 64 anos, natural do estado do Acre, em decorrência do novo coronavírus (Covid-19). Foi a primeira morte em decorrência do vírus em Alagoas.

Em relatos descritos pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs), da Sesau, responsável pela notificação e investigação dos casos suspeitos da Covid-19 em Alagoas, o paciente chegou à Unidade de Pronto Atendimento (UPA), do Trapiche, na madrugada do dia 27 de março de 2020, após ter sido encaminhado pelo Hospital Geral do Estado (HGE), com sintomas de falta de ar (dispneia) e histórico de febre que estava ocorrendo há cinco dias.

Prontamente, o médico plantonista realizou todas as avaliações necessárias. Ao perceber a gravidade da situação, o paciente foi entubado na própria UPA. Graças ao Plano de Contingência Estadual de Enfrentamento à Covid-19, colocando em prática a montagem de leitos intensivos nas UPAS, dotando os locais com os equipamentos para cuidados aos pacientes que chegassem com suspeitas do novo coronavírus.

Em relação à coleta, o paciente passou pelo procedimento de coletagem ainda no Hospital Geral do Estado (HGE). Posteriormente, a coleta foi encaminhada ao Laboratório Central de Alagoas (Lacen-AL).

Após análise laboratorial, o resultado divulgado nesta terça-feira (31) testou como positivo para Covid-19 em um único teste feito pelo paciente. Segundo o prontuário médico, o paciente era hipertenso e diabético.

 

NOTA OFICIAL – INSTITUTO ISAC EM ALAGOAS

O Instituto Saúde e Cidadania – ISAC, gestor das UPAs Trapiche da Barra, Benedito Bentes, Irmã Dulce (Marechal Deodoro) e do Hospital IB Gatto (Rio Largo) vem esclarecer os fatos relacionados ao atendimento do paciente, que faleceu na UPA Trapiche, com Covid-19.

O paciente deu entrada na unidade no dia 26 de março (quinta-feira), às 23h45, trazido pelo Samu.

Como a UPA Trapiche é uma unidade de atendimento de urgência e emergência, o paciente foi atendido assim que chegou.

A unidade possui um fluxo específico para atendimento de pessoas com suspeita de coronavírus, para o qual ele foi direcionado.

Após isso, foi submetido a consulta médica e encaminhado para a área restrita a casos suspeitos de Covid-19, com maior gravidade.

O procedimento de estabilização foi adotado e, em seguida, foi feita a coleta de amostra para envio ao Laboratório Central do Estado (Lacen), responsável pela análise.

Mesmo tento recebido todo o atendimento médico necessário na unidade, o paciente infelizmente não resistiu e faleceu à 1h52, do dia 30 de março, por causa do agravamento do quadro clínico, que já era grave.

Conforme consta em atestado de óbito, a causa da morte foi insuficiência respiratória aguda, provocada por Covid-19, baseando-se na história clínica do paciente, conforme preconiza o manual do Ministério da Saúde, para preenchimento da declaração e óbito.

DIVULGAÇÃO DO RESULTADO

A UPA Trapiche tomou conhecimento do caso de modo extra-oficial e aguardou a divulgação oficial do Lacen para emitir essa nota.

CONTINUIDADE DO ATENDIMENTO

O atendimento na UPA Trapiche, assim como nas demais unidade gerenciadas pelo Instituto ISAC, continua sendo feito normalmente, conforme recomendação do Ministério da Saúde.

Os profissionais que tiveram contato com o paciente seguiram todas as diretrizes oficiais e usaram os equipamentos de proteção individual determinados.

Todos eles estão sendo monitorados e, caso apresentem sintomas, vão fazer o teste. Essa medida preventiva tem o objetivo de evitar resultados falso-negativos pela testagem precoce de Covid-19.

O Instituto ISAC ressalta que está à disposição para dar os esclarecimentos necessários à imprensa e à população, por intermédio da Assessoria de Comunicação da unidade.

Fonte: alagoas24horas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *