Transmissão da covid-19 segue instável em AL e número de casos e ocupação de UTIs sobe

O relatório do Observatório Alagoano de Políticas Públicas para o Enfrentamento da Covid-19 (OAPPEC) mostrou que os casos da covid-19 em Alagoas continuam apontando para uma instabilidade da transmissão do vírus. Apesar de uma redução no número total de óbitos causados pelo vírus, os demais indicadores, como casos e a ocupação de leitos de UTI, apresentaram crescimento na 19ª Semana Epidemiológica.

De acordo com o estudo, foram 4.790 casos e 114 óbitos registrados durante a semana. Das doze Regiões Sanitárias analisadas, seis apresentaram um aumento no número de óbitos em relação à semana anterior, e sete um aumento no número de casos. O único local onde foi observada uma queda simultânea de casos e óbitos nos últimos 14 dias foi Maceió.

O maior aumento em casos ocorreu em Arapiraca (de 429 para 657), enquanto o de óbitos foi na 6ª Região Sanitária (de 2 para 8 mortes). As maiores incidências do vírus foram observadas em Arapiraca (284 casos para cada 100 mil habitantes), 6ª RS (180 casos/100 mil) e a 1ª RS (164 casos/100 mil).

Em relação às mortes, a 1ª RS registrou 7,4 mortes para cada 100 mil habitantes, seguida de Maceió (4,5) e Arapiraca (3,9). O número de casos suspeitos de Covid-19 também apresentou um aumento no estado. Foram 12.370 casos suspeitos no sábado (12.370 casos), o maior número em oito semanas.

O aumento nos casos suspeitos pode ser uma consequência do período, onde há um crescimento na incidência de doenças como dengue e H1N1. Por isso, a proporção de testes RT/PCR que retornam positivos também é levada em consideração. A proporção aumentou na última semana, chegando a 45%, número similar ao visto nas últimas dez semanas.

A ocupação de leitos de UTI apresentou um aumento significativo na última semana. De acordo com o Boletim de Ocupação de sábado (15), a ocupação dos leitos exclusivos para o tratamento da Covid-19 se encontrava em 79%, patamar muito próximo da margem crítica de 80% onde medidas mais rígidas de isolamento social são recomendadas por especialistas.

Novamente, a distribuição geográfica dos leitos apresenta um cenário mais preocupante do que a média geral: dos nove municípios onde leitos de UTI exclusivos para o tratamento da doença são disponibilizados, vários já ultrapassaram o patamar de 80%. É o caso de Coruripe (93%), São Miguel dos Campos (90%), Arapiraca (89%), Santana do Ipanema (87%) e Porto Calvo (80%). Maceió, que possui mais da metade dos leitos de UTI do estado, registra uma ocupação de 78%.

Vacinação no estado

Apesar de ainda considerado lento, considerando como meta vacinar toda a população adulta até o fim do ano, o ritmo de vacinação em Alagoas acelerou na 19ª Semana Epidemiológica. Foram aplicadas 77.170 doses de vacinas contra o vírus na semana, um aumento de 28% em relação à semana anterior. Foram 786 mil doses aplicadas ao todo no estado, sendo 541 mil correspondentes à primeira dose e 245 mil à segunda, 25% e 11% da população, respectivamente.

Os dados estudados não indicam um controle da transmissão do vírus no estado, segundo a avaliação dos pesquisadores do OAPPEC. Com um índice reprodutivo efetivo (Rt) acima de 1, a contaminação segue crescente no estado. A adoção de medidas de controle e a colaboração da população são essenciais para, junto à vacinação, garantir um retorno futuro à normalidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *